Buscar
  • Dra. Luísi Rabaioli

Como posso testar meu olfato?





Existem algumas formas, utilizadas mundialmente, que nos permitem avaliar a severidade das alterações do olfato.


Uma delas é o Teste do Olfato de Connecticut, capaz de avaliar esse sentido qualitativa e quantitativa.


É um teste simples, feito no próprio consultório, sem qualquer tipo de risco ou desconforto ao paciente. Nele, são apresentadas diversas substâncias para identificação exclusivamente através do olfato, sem auxílio visual ou tátil.


O teste é dividido em duas partes:


1. Quantitativo: nessa etapa, testamos o limite da sensibilidade do olfato. Através de uma substância química não-tóxica, avaliamos e diferentes diluições a partir de que momento o paciente consegue perceber o cheiro.


2. Qualitativo: diversos odores conhecidos do nosso dia-a-dia são apresentados ao paciente, que deve tentar identificá-los somente através do cheiro.


Após a análise desses dados, é obtida uma pontuação para cada narina, que varia de 0 a 7, classificando o paciente em um dos seguintes grupos: anosmia, hiposmia severa,, hiposmia moderada, hiposmia leve ou normosmia.


O teste leva cerca de 20 minutos e é bem interessante de ser feito, principalmente para pacientes que tiveram perda de olfato por conta da Covid-19, pois ele nos ajuda a quantificar o grau da perda olfatória que a pessoa apresenta.


Muitas vezes, a percepção subjetiva é pouco confiável, além de ser muito difícil mensurar as evoluções durante o tratamento.


Através da pontuação, o otorrinolaringologista poderá acompanhar de forma objetiva os resultados, além de tranquilizar o paciente.



6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Quando meu olfato vai voltar?

Perdeu o olfato após a COVID e está esperando voltar? Pois então, saiba que TEMPO É OLFATO! Sabemos que cerca de 95% das pessoas terão uma melhora espontânea no prazo de 6 meses, mas não sabemos quais

Olfato e COVID-19

Estudos demonstram que as alterações do olfato podem ocorrer em até 90% dos infectados pelo novo coronavírus.